O VALOR DOS DILEMAS



          Existe um ditado popular que afirma se quisermos conhecer alguém dê dinheiro e poder, a vida prova a veracidade desta assertiva, já tão consolidada na sabedoria das pessoas.
          Mas a experiência pastoral aponta para uma outra verdade, que percebo que está por traz de muitas questões existenciais, até mesmo do já citado dito popular, que é: QUE CONHECER ALGUÉM DÊ A ELE UM DILEMA.
          Dilema se traduza por situação difícil, na qual é preciso escolher entre duas alternativas contraditórias ou antagônicas, é fazer a escolha entre uma das várias soluções para uma questão vivenciada.
          Só conhecemos uma pessoa verdadeiramente quando a vemos tomando decisões e fazendo escolhas, é diante dos dilemas que verificamos o grau de compromisso com Jesus, a medida do crescimento espiritual e a medida de sua da fé.
          Ser Cristão nas condições normais de “temperatura e pressão” chega a ser bastante fácil, mas, quando as condições climáticas da vida mudam e saem do normal, aí sim, que se revela a essência existencial de cada crente. Principalmente quando se é vivenciado o dilema de optar entre o que se quer e o que Deus quer, ser o velho homem ou a nova criatura, confiar em Deus ou exclusivamente na força do braço, ter sucesso diante dos homens ou o anonimato que leva ao sucesso diante de Deus, sofrer pela causa do Evangelho ou buscar a zona de conforto.
          Parece que o dilema é um instrumento infalível para revelar o ser carnal ou espiritual que estar por traz da capa de religiosidade de cada um, é nas decisões que aparece a ovelha ou o bode, o santo ou profano, o discípulo ou o pecador, o que ouve a Deus ou que escuta simplesmente a voz da sua vontade.
          Tenho aprendido em minha jornada pastoral que dos parâmetros que lançamos mão para atestar a espiritualidade, a aparência é a mais falível de todas, pois quantas vezes vemos pessoas há tanto anos na igreja, atendendo todos os requisitos de um bom cristão (aparência, fala o idioma “crentês”, freqüência na Igreja, conhecimento teológico, etc). Mas, quando chegam ao gabinete pastoral com um dilema, aí sim, o conhecemos quem ele é verdadeiramente, por meios das decisões e escolhas que estão prontos a fazer.
          As escolhas feitas revelam a prioridade de cada um, o desejo, as inclinações, é nas encruzilhadas existenciais que se escolhe os caminhos que se trilhará demonstrando a força motriz de cada vida. 
          Os grandes homens da Bíblia foram revelados pela escolhas que fizeram ante os dilemas vivenciados por cada uma deles, vejamos alguns exemplos:
1)    Jesus: viveu o dilema do sofrimento da Cruz, mas disse: “seja feita a tua vontade” (Mat 26:42);
2)    Os Apóstolos: Ante o chamado ao discipulado, escolheram deixar tudo e seguirem a Jesus;
3)    Daniel teve que escolher em agradar a Deus ou aos homens, mesmo sofrendo risco de vida.
4)    Abraão teve que escolher entre ficar com sua parentela ou acreditar nas promessas de Deus indo para uma terra desconhecida.

Por isso, que hoje estou convicto mais do que nunca, que o verdadeiro discípulo de Jesus se firma diante dos dilemas, precisamente por meio das escolhas realizadas..

Pr. Jonas Silva

                          

0 comentários:

 
Caminhando em Santidade © 2010 | Design adaptado por Kênia Siqueira | Todos os direitos reservados.