ESPIRITUALIDADE RETRÔ





Quem me conhece sabe que tenho uma atração por coisas antigas, embora não abra mão da funcionalidade das modernas. Reconheço que a beleza, qualidade são marcas nos objetos do passado, e redundam em durabilidade.
Essa mania retrô parece que vem se agregando em outras áreas da minha vida, a exemplo da espiritualidade, gerando um sentimento saudosista, sinto falta de ver na vida da igreja algumas posturas outrora tão comuns.

Sinto saudade de um Evangelho que centrava em Cristo todas as atenções, onde o principal personagem era a pessoa de Jesus, e o homem era simplesmente um miserável pecador redimido, não por seus méritos, mas pela graça e amor de Deus.

Faz-me falta a clareza de papéis de outrora, onde ser Evangélico era revestido de uma série de implicações sociais e comportamentais que estabelecia uma linha clara entre os que serviam a Cristo e o mundo imerso no pecado, linha esta, que já não é tão clara em nosso dias.

Sinto um profundo saudosismo das mensagens de outrora, que falavam da salvação em Jesus Cristo, da condição pecaminosa do homem, do arrependimento, de pecado, da volta de Jesus, de santidade. Pois sinceramente não tem dado para suportar o evangelho comercial propagado em nossos dias, onde o mais importante na mensagem, é o próprio homem e suas necessidades materiais.

Sinto falta das músicas antigas, caracterizadas por belíssimas melodias, onde a letra retratava a realidade da mensagem do Evangelho, onde havia uma coerência e precisão teológica. Bem diferente das que temos visto serem produzidas pela indústria fonográfica gospel, pobres esteticamente falado e recheadas de palavras de efeito, onde o homem egoísta é o senhor de tudo e o protagonista, e Deus simplesmente o servo, que tem como obrigação atender as requisições e ordens deste homem.

Quanta saudade da teologia da volta de Jesus, teologia esta que gerava nos membros da igreja a esperança e a convicção de serem meros peregrinos nesta terra, já que o evangelho moderno estabeleceu um céu no mundo, onde a Igreja mudou o foco de sua esperança, deixando de lado as coisas eternas e focando nas transitórias.

Sinto saudades dos crentes de outrora, compromissados com o Reino de Deus, eticamente compromissados com a Palavra, sedentos por aprender a Palavra de Deus, exemplos nos negócios, amantes zelosos de sua família, e comprometidos com a obra de Evangelização.

Admiro os Pastores do passado, preparados teologicamente, submisso às autoridades denominacionais, preparados teologicamente, comprometido com a Palavra de Deus e com seus chamados, amantes do Rebanho do Senhor e exemplo dos fiéis. Bem diferente dos modernos, gananciosos, comprometidos com eles mesmos e com seu império denominacional, envolvidos com politicagem dentro e fora da igreja.

Reconheço que a mensagem do Evangelho tem que dialogar com o seu tempo, contudo, sem perder a essência, pode variar na forma, mas nunca no conteúdo, por isso fiz uso da palavra retrô e não vintage, já que há uma diferença entre os termos. Retro é o lançamento atual de algum produto ou peça, com a inspiração Vintage e completamente repaginado. Ou seja, o Retro é algo novo com a aparência antiga e que faz sucesso pela releitura perfeita de uma época, ou de um estilo marcante.



Pr. Jonas Silva
 
               



0 comentários:

 
Caminhando em Santidade © 2010 | Design adaptado por Kênia Siqueira | Todos os direitos reservados.