O DIABO É UM PREGADOR DA TEOLOGIA DA PROSPERIDADE



 


Na última aula da disciplina de apologética que ministro no Seminário Batista Nacional (SETEBAN), seminário da Convenção Batista Nacional, convenção a qual faço parte, O Seminarista Samuel fez uma observação bastante perspicaz e intrigante, que é o fato, que outrora, os adversários apologéticos eram outros: mórmons, Testemunhas de Jeová, Adventistas etc. Mas,  hoje, temos que estudar apologética para estabelecer argumentos contra as heresias que fincaram base dentro da própria igreja evangélica, e vem falaciosamente revestida de novo mover ou revelação e de interpretações bíblicas espúrias e pouco ortodoxas.
Diante de perspicácia do aluno, veio em minha mente o quadro da tentação de Jesus, relatado nos Evangelhos (Mateus 4:1-11, Mc 1:12-13 e Luc 4:1-13), e como o Diabo estrutura uma argumentação bíblica para desviar pessoas do bom caminho da verdade.
Inicialmente ressalto que toda a argumentação que o Diabo usou no diálogo com Cristo   durante a tentação, foi a partir de algum texto bíblico, contudo, com aplicações e significados que o texto não possuía e nem queria dar, ou seja, O evangelho pregado pelo Diabo é um evangelho que buscará respaldo em textos bíblicos mal aplicados e geralmente fora do contexto.
Por parecer ecoar da bíblia, o evangelho do Diabo vai ter o poder de enganar muitas pessoas bem intencionadas, contudo desprovidas de entendimento bíblico.
 O Evangelho pregado pelo Diabo sempre tomará como ponto de partida a necessidade humana, contudo, não a necessidade existencial de ter um relacionamento com Deus, mas, sim, necessidades físicas e transitórias. O primeiro argumento que o Diabo usou com Jesus foi o desafio de transformar pedras em pães, o que parecia bastante razoável em relação a Cristo, já que o mesmo estava a 40 (quarenta) dias em Jejum.
O Evangelho do Diabo é aquele que promete o pão, o feijão, o carro novo a porta de emprego, a empresa, fazendo uso de textos bíblicos desconectados do seu contexto e da sua mensagem, contudo, sem revelar que a principal necessidade e fome do homem, não são  coisas transitórias. Jesus, por outro lado, mostra que o que sustenta existencialmente as pessoas é que o procede da boca do Senhor e Criador.
O Evangelho pregado pelo Inimigo de nossas almas estabelece para o homem uma consciência de poder que ele mesmo não detém, é a mensagem que ressalta o fato que o homem manda e Deus obedece. Jesus ao ser colocado no alto do templo lembra que a nossa vontade tem que se submeter a vontade do Soberano Deus. Não é o que eu quero mas o que ele quer, que pular do pináculo sem uma direção de Deus é uma irresponsabilidade espiritual.
Nesta perspectiva o Evangelho do Diabo é o Evangelho do desafio, que assevera: dê tudo, pule do pináculo, faça loucuras em nome da fé, tente o Senhor, determine que Deus obedece.
 Por fim, o Evangelho pregado pelo Diabo é aquele estabelece uma falsa adoração, ou seja, ele parte da perspectiva que Deus não é o centro, mas aquilo que pensamos conquistar em nome de Deus. Jesus refuta dizendo:“ que só o Senhor adorarás, e só a ele dará culto.”. 
         Fico imaginando que muitos membros da Igreja Evangélica do Diabo tem conquistado reinos deste mundo, se prostrando e adorando outros deuses, e ainda assim acreditam que estão sendo abençoados por Deus.
O Diabo como pregador do Evangelho da prosperidade,  vem atraído multidões para ouvir a sua mensagem, fundado grandes denominações, enganado pessoas, e estabelecido uma adoração que não é direcionada ao único Deus. Infelizmente tenho que concordar com o Seminarista Samuel,  precisamos fazer uma apologética dentro de nossas próprias igrejas, expulsando o Diabo dos púlpitos com sua mensagem falsamente lastreada nas Escrituras que não conduz o homem ao Eterno Deus.

Pr. Jonas Silva.

5 comentários:

 
Caminhando em Santidade © 2010 | Design adaptado por Kênia Siqueira | Todos os direitos reservados.