O TEN CEL NASCIMENTO LAVOU MINHA ALMA, MAS JESUS LAVOU MEUS PECADOS


Fui ao cinema nestes dias para assistir o filme TROPA DE ELITE 2, como militar, identifiquei-me com a causa do Ten Cel Nascimento, e enxerguei uma radiografia do sistema que nos circunda.

Talvez o amado Leitor esteja se perguntando, o que uma figura truculenta, violenta em guerra com seus próprios fantasmas pessoais, tem de cristão?.

A resposta em princípio, seria nada, contudo, percebo que como cristãos deveríamos ter muitas coisas do Ten Cel Nascimento, e esta talvez esta seja a lição mais confrontadora do filme.

O Ten Cel Nascimento era dotado de uma compreensão da guerra na qual estava inserido, sabia quem era o inimigo, tratava-o como tal, viviava esta que guerra cotidianamente, e estava comprometido com a mesma.

Como cristãos estamos em meio a uma guerra, uma guerra espiritual claro, contudo, qual o nível do comprometimento que temos com ela, será que tratamos o nosso inimigo como tal, ou fizemos uma aliança de paz como ele. Vivemos diuturnamente esta guerra? Estamos dispostos a perder a nossa vida por ela?

Queremos a paz, mas, esquecemos, por mais contraditório que seja, que a paz e a justiça brota muitas vezes da guerra, queremos a paz, justiça social, salvação dos nossos entes queridos, que Jesus seja o Senhor do Brasil, que o Reino de Deus se estabeleça, mas tudo isso é fruto de conquistas realizadas em nosso campo de batalha espiritual.

O Ten Cel Nascimento se mostra extremamente comprometido com o seu Batalhão, Batalhão de Operações Especiais (BOPE), mesmo longe, ele não se esquece dos seus ex-comandados, fortalece a estrutura da Unidade, aumenta o seu efetivo.

Qual o nível de comprometimento que temos com os nossos batalhões, ou melhor, igrejas, será que buscamos fortalecê-las ou simplesmente a criticamos por tudo, estamos inseridos nela, mas como um corpo estranho, caracterizado pela apatia, crítica, resistência, mal vontade, isto nos leva a pensar: Finalmente quem é o nosso inimigo?.

O Ten Cel Nascimento, no episódio da morte do Cap Matias, reconhece o valor de um combatente morto em combate.

Alguém já disse: “Que a igreja é o único exército no mundo que mata seus próprios soldados", é notório que quando algum combatente cristão cai em meio aos embates espirituais desta vida, a tristeza, o pesar, a indignação, a solidariedade são substituídos, pela acusação, pela crítica, pela euforia que se materializa, no sórdido desejo de contar a última. Os Exércitos possuem seus hospitais de campanhas, para cuidar dos combatentes feridos, contudo, a igreja, como exército, prefere fazer uso do cemitério, sepultando os feridos ainda vivos, agonizantes de dor, dor e ferimentos produzidos: por seus erros, ambigüidades, fraquezas, pelo mundo e pelo Diabo com sua milícia.

O Ten Cel Nascimento pagou um preço muito alto por seu envolvimento com a guerra, perdeu a sua própria família.

Uma frase que citamos muito é: “que nenhum sucesso na vida compensa o fracasso no lar”, contudo esta frase não encontra respaldo bíblico, quando se trata do Reino de Deus, pois Jesus nos ensina em Marcos 10 :29:— “Eu afirmo a vocês que isto é verdade: aquele que, por causa de mim e do evangelho, deixar casa, irmãos, irmãs, mãe, pai, filhos ou terras”. Entrar em guerra é sair da zona de conforto, estar disposto até mesmo a perder o que mais valorizamos, por amor à causa. O problema do Evangelho neo pentecostalizado e da teologia da prosperidade, é que ensina um evangelho só de lucros, mas Jesus pregou e viveu um evangelho de perdas de coisas temporais em detrimento da conquista das coisas eternas.

O ponto alto do filme, e digo isto, como militar, foi quando Ten Cel Nascimento nos dá uma aula sobre o que é indignação, dando uma sorva no desonesto Secretário de Segurança Pública.

A indignação não combina com o conformismos, pois nos leva a separarmos muitas vezes, mesmo que arriscadamente, o trigo do joio, tratar os falsos irmãos como tal, as falsas doutrinas como lixo, expulsar os vendedores do templo de forma rompante.

Quando vislumbramos o sistema político e espiritual que sustenta a violência, só temos uma coisa a dizer: O Ten Cel Nascimento lavou minha alma, mas graças ao meu bom Deus que Jesus lavou os nossos pecados.



Pr. Jonas Silva.







4 comentários:

  1. Pastor Jonas

    Postagem por demais edificante.
    Sábias considerações e comparações pertinentes.
    Aproveito o ensejo para, também, pedir perdão "não sei a quem" pelo fato de ser um pobre editor de blog, conforme sua intervenção no comentário à postagem do "nosso" Carpintero.
    Já estou integrando o roll dos seguidores do seu magnífico espaço.
    Deus conosco, ad eternum

  1. Pr. Jonas Silva disse...:

    Obrigado, Caro Alberto, que Deus continue a te abençoar.

  1. Anônimo disse...:

    esse filme tem muito palavrao , eu sendo evangelico posso assistir ?

  1. Pr. Jonas Silva disse...:

    Querido anônimo, caso você vai se desviar ao ouvir palavrões, aconselho que você não assista.
    E se você é tão sensível assim compre um tapa ouvido, pois acredito que os seus relacionamentos se restringem aos Evangélicos.
    Mas lembre-se que Jesus falou a respeito da boca em Mateus cap 15
    11 não é o que entra pela boca o que contamina o homem, mas o que sai da boca, isto, sim, contamina o homem. 16 Jesus, porém, disse: Também vós não entendeis ainda? 17 Não compreendeis que tudo o que entra pela boca desce para o ventre e, depois, é lançado em lugar escuso? 18 Mas o que sai da boca vem do coração, e é isso que contamina o homem. 19 Porque do coração procedem maus desígnios, homicídios, adultérios, prostituição, furtos, falsos testemunhos, blasfêmias. 20 São estas as coisas que contaminam o homem; mas o comer sem lavar as mãos não o contamina.

 
Caminhando em Santidade © 2010 | Design adaptado por Kênia Siqueira | Todos os direitos reservados.