CREPÚSCULO: VAMPIROS, LOBISOMENS E COISAS DO GÊNERO EXISTEM!!!

Estive, nestes últimos dias, assistindo a alguns filmes da série Crepúsculo. A primeira impressão que tive é que as histórias baseadas nos contos de Stephenie Meyer tratavam-se de mais uma ficção de vampiros e lobisomens e coisas do gênero.

Entretanto, Após dez anos de ministério, devo afirmar que vampiros e lobisomens e coisas do gênero existem realmente, e devo esta conclusão não aos livros de Rebeca Brown, mas por conviver diariamente com seres mutantes desta natureza.

Antes de você querer mandar este post para alguma editora que publica livros de Batalha Espiritual, deixe-me começar a explicar quem são estes seres mutantes e suas similitudes com os personagens da série crepúsculo.

A exemplo dos vampiros e lobisomens, personagens tão comuns em filmes de terror, transformados em noites de luas cheias, os seres mutantes que quero tratar, também se transformam em ocasiões especiais, geralmente nos dias de domingos, noites de igrejas cheias.

O fato também já foi comprovado pela ciência através do renomado pesquisador especializado em teologia molecular Wesley Calvino Armínio, que o denominou de “sanctus incoerentus”, segundo o cientista, o ser mutante não é mero exemplar de caso de dupla personalidade.

Os estudos foram apresentados pela primeira vez no Congresso Fogo no Brasil e publicada na revista científica CPA-Day, a pesquisa revela que em virtude do modismo evangélico no Brasil os exemplares dos sanctus incorentus vem se tornando bem comum.

Quando chega o domingo, o nosso ser mutante, o "sanctus incoerentus", abandona a sua forma semanal e começa a tomar a forma dominical; deixa a sua aparência mundana com seus palavrões, acessos a sites não recomendados, violência familiar, adultérios de toda sorte, violação de regras (inclusive de trânsito), negócios espúrios, e coisas do gênero. Podendo adotar algumas formas específicas, tais com: Pastor, Presbítero, Diácono, ou, mesmo membro de Igreja.

Na forma dominical, o nosso monstro, reveste-se de uma aparência piedosa, vai a alguma igreja evangélica, substitui as palavras indecorosas por chavões do tipo “paz do Senhor”, “graça e paz”, andando de um lado para outro com um livro em baixo das axilas, que o causa ojeriza nos outros dias, denominado de Bíblia.

É muito comum encontrar o "sanctus incoerentus" no seu estado dominical em êxtase, cantarolando com fervor canções e hinos sacros, e, até, balbuciando algumas palavras em línguas estranhas que aprendeu, na tentativa imitar  uma outra espécie denominado de “sanctus legictimus”.

A família que geralmente na forma semanal é abandonada e vilipendiada por nosso monstro mutante, na forma dominical é obrigada a andar do seu lado, passando a tratá-los por designações engraçadas: a mulher, que antes era “dona encrenca” passa a ser “minha esposa”, os filhos que antes eram tratados e designados com palavras de baixo calão, passa a ser chamados de “herança do Senhor”.

Este ser mutante na fase dominical, conta as horas para voltar a outra forma, principalmente durante a mensagem do Pastor. As palavras proferidas no sermão podem causar duas reações: um profundo estado de sono ou sentimento letárgico de indiferença.

A exemplo do vampiro Eduard e de sua família, no filme crepúsculo, que aparentemente não se sentiam a vontade como vampiros, o nosso ser mutante não se sente muito satisfeito com a sua forma dominical e fica louco para que chegue o momento da benção apostólica, para que ele sofra mais um processo de mutação e volte a ter a forma semanal.

Assim como os lobisomens e vampiros - que possuem uma forma bem peculiar de serem exterminados, balas de pratas e estacas fincadas no coração, respectivamente - o ser mutante do qual estou falando, pode ser exterminado por meio do arrependimento, confissão de pecados e da submissão à Palavra de Deus.



Pr. Jonas Silva


Em homenagem ao nosso ser mutante, estou postando uma música da Banda Resgate. Vale a pena conferir.


JESUS IS FOREVER LIVING AND HERBALIFE



Uma das coisas que sempre me intrigou é o fanatismo de algumas pessoas com programas de marketing de rede. A história parece antiga, amigos chegam diante de nós, entusiasmados com um projeto financeiro infalível, oferecendo produtos milagrosos que passa a ser o seu único assunto.

Só para lembrar, quem nunca conheceu alguém que em seu ambiente de convívio são ou foram adeptos de programas como: Amway, Herba Life e mais recentemente o FOREVER LIVING.

A história parece cíclica, o entusiasmo inicial que leva pessoas a beira do fanatismo, buscando de forma frenética novos adeptos para a sua rede de comércio.O novo negócio passa a ser o único assunto dos entusiastas, contudo, após alguns meses, parece que o brilho e o entusiasmo esvanecem, diante da fatídica constatação que nem tudo que reluz é ouro, e que o mirabolante e alvissareiro negócio não se concretizou.

O objetivo do “post” não é demonizar as empresas de marketing de rede, discriminar aqueles que aderem á tais programas, ou mesmo questionar a validade e funcionalidade do negócio, contudo, gostaria de falar um pouco da postura de cristãos diante destes negócios “milagrosos”, confrontando com a sua postura diante das coisas do Reino de Deus, e vise e versa.

Eu fico imaginando se cristãos falassem de Jesus com o mesmo entusiasmo que os adeptos dos programas de marketing de rede professam as qualidades de seus produtos.

Se Jesus é tão bom como pregamos, por que não professamos com tanta veemência as suas qualidades para as pessoas que nos cercam.

O fato de muitas pessoas se entusiasmarem com produtos, comidas que experimentam e falam deles com entusiasmo recomendando para todos os seus amigos, parece firmar a lógica que aquilo que é bom deve ser compartilhado.

Mas, essa lógica quando aplicada a vida do cristão e a sua falta de entusiasmo para falar de Jesus, nos leva a um beco com duas saídas: ou Jesus não é tão bom quanto dizem, ou, nunca experimentaram realmente e efetivamente esta bondade.

Fico imaginando se encarássemos a ordem de fazer discípulos, com mesmo vigor e seriedade que muitos buscam novos integrantes para a sua rede de marketing, certamente a missão de expansão do Evangelho sobre a terra seria mais efetiva.

A idéia que quero passar, não é a que devemos encarar a tarefa da pregação do Evangelho como uma proposta comercial, pois já temos comerciantes demais da fé. Mas a de confrontar a nossa apatia e frieza, diante do melhor produto ofertado a humanidade (JESUS CRISTO), em detrimento do entusiasmo e fanatismo que muitos, inclusive cristãos, vendem produtos que nem mesmo nem sabem que funcionam.

A mulher pecadora de João cap 4 nos dá uma lição: "28 Quanto à mulher, deixou o seu cântaro foi à cidade e disse àqueles homens: 29 Vinde comigo e vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Será este, porventura, o Cristo?! 30 Saíram, pois, da cidade e vieram ter com Ele". Aquela mulher encontrou algo precioso (JESUS) e foi compartilhar com as outras pessoas, formando uma rede discípulos.

Fica a indagação final: será que  realmente  Jesus tem sido para a igreja o verdadeiro  forever living (trad: o que Vive para sempre) e  a herbalife (trad: Arvóre da vida).?





Pr. Jonas Silva.

ANIVERSÁRIO DE 5 ANOS DA IBMCF

A Igreja Batista Missionária Casa Forte (IBMCF) completou no último dia 18 de Agosto, 05 anos de existência, foram tempos de lutas, desafios, mas, principalmente, vitórias. Veja um pouco da nossa história.  E acredite Deus é Fiel!!!












Coisas entre o céu e a terra que a minha "VÃ TEOLOGIA" não consegue explicar

Após uma semana sem postar, pois estava fazendo um curso em meu trabalho, ser pastor fazedor de tendas não é moleza!!!
Estou postando algumas questões, que embora várias delas pareçam ter respostas e explicações obvias e simples, eu sinceramente não as entendo.

1. Por que pessoas dizem que amam a Deus e sempre têm mais prazer em coisas que não tem nada a ver com Ele, ou quando não contrário a sua vontade.

2. Por que crentes sofrem verdadeiras mutações nas segundas feiras, abandonam aquela aparência dominical de piedade, deixam a Bíblia de lado, e se infiltram nos meios dos pecadores sem fazer qualquer diferença.

3. Por que os membros das igrejas acham que seus pastores são super-homens, não têm problemas, sua família e principalmente seus filhos, são perfeitos, não têm sentimentos, fraquezas, e nem necessidades.

4. Por que muitos músicos que deveriam ter uma vida separada para Deus, ainda insistem em tocar no mundo, em ambientes nada condizente com uma vida cristã.

5. Por os irmãos que mais criticam a sua igreja são aqueles que menos fazem alguma coisa.

6. Por que na matemática de muitos cristãos 10 por cento, torna-se 8, 7, 6 e até 0 por cento.

7. Por que muitas vezes citamos em nossos cultos aquele texto, “alegrei quando me disseram vamos a casa do Senhor”, mas muitas pessoas parecem que estão em plena seção de tortura, evento fúnebre.

8. Por que o nosso corpo não consegue passar um dia sem fazer as três refeições, contudo, partindo do princípio que a Palavra de Deus é o alimento do nosso espírito, queremos que o mesmo passe a semana com uma mera refeição dominical.

9. Por que Pastores, nas reuniões institucionais de suas convenções e Ordens Pastorais, parecem esquecer tudo que ensinam em suas igrejas.

10. Por que declaramos a Bíblia como regra de fé e prática, contudo, as experiências extras bíblicas parecem nortear as igrejas de nossos dias muito mais do que o próprio Texto Sagrado.

11. Por que muitos acham que o único pecado imperdoável que o Pastor comete, é o adultério, os outros, tais como: mentir, deturpar a Palavra de Deus, ser violento com a esposa, sonegar impostos, etc. são todos aceitáveis.


12. Por que a adoração vem se tornando em um verdadeiro mercado musical, onde os “artistas” roubam para si, sem pudor e indignação, a verdadeira adoração ao Senhor.

13. Por que se a igreja é o corpo de Cristo, contudo, as nossas denominações nos separam, ao ponto de considerarmos os outros grupos como torcidas rivais.

14. Por que muitos dizem que Deus é o Senhor de suas vidas, mas quem manda mesmo é o seu ego.

Bom, por hoje chega!! Depois eu posto mais algumas destas questões.




Pr. Jonas Silva.

Vídeo - Banda Resgate

Música muito criativa.
O trocadilho entre as palavras em inglês e os significados em português é show de Bola.
Prestem atenção nos detalhes!!!!

ELEIÇÕES - QUAL O PREÇO DE UM REBANHO?

Todas as vezes que eu vislumbro a ação do ministério pastoral, sempre delineio o quadro metafórico do Rei Davi, ainda Pastor de ovelhas, arriscando a sua vida enfrentando leões e ursos no intuito de proteger indefesas ovelhas do seu Rebanho (I Sam 17:34-37).


Nestes últimos dias, fico pensando o que foi feito deste quadro quando comparado a algumas posturas pastorais nestes dias de campanha eleitoral, e fico pensando se tenho sido muito idealista ou ingênuo, contudo, prefiro acreditar que pastores dão a vida por seu rebanho, ao invés de tomar como verdade a conclusão: que pastores modernos dão a vida do rebanho.

Fico perplexo quando um pastor envolve o seu rebanho em suas ambições políticas, ou mesmo negociam com terceiros o seu apoio, e os votos do rebanho em busca de benefícios temporais ou esmolas ministeriais.

O Pastor é um condutor e um influenciador de vidas, e estes fatos denotam a responsabilidade da ação pastoral, e as possibilidades que a função permite, há muito descobertas pelos políticos.

É muito comum neste dias de campanhas eleitorais, políticos buscarem apoio de Pastores na tentativa de garimparem os votos das ovelhas. Contudo, o que mais me deixa estarrecido são as estratégias utilizadas pelos mesmos, que vão deste a doação de bancos; construção de ambientes na igreja; apoio nos eventos; comparecimento nos cultos, depois de terem vindo da macumba, do pagode, da festa GLS.

A grande questão ética que paira sobre a questão, não é o fato de pastores terem seus candidatos ou mesmo acreditarem em projetos políticos, contudo, até que ponto pode-se envolver o rebanho em campanhas políticas, muitas vezes à custa da alienação, e do uso da credibilidade que líderes espirituais possuem junto a seus liderados.

O púlpito, que seria o local de onde deveria ecoar a mais cristalina Palavra de Deus, é oportunizado a políticos que se dizem evangélicos ou amigos do Evangelho, muitas vezes de vida e testemunhos duvidosos, para exporem demagogicamente as suas plataformas políticas.

Eu fico pensando qual a diferença de um Pastor que negocia o seu rebanho com políticos, para um do cabo eleitoral que compra votos a R$ 50 (cinqüenta reais), e eu até sei, o irrisório valor monetário, pois sai muito mais barato negociar com pastores.

Nas últimas eleições municipais, um colega Pastor me confessou chateado que havia sido traído por seu rebanho, pois o seu Candidato a vereador, que o ajudou a construir a laje da cozinha da igreja por ele pastoreada, o qual havia se comprometido através dos votos de suas ovelhas foi trocado por outro que ofereceu 50 R$ por cada voto.

Diante da sua indignação do Colega, que taxou o outro candidato, com adjetivos dignos de prostitutas do cais do porto, eu me pergunto quem foi mais antiético: o político na compra de votos, que, diga-se de passagem, gastou bem mais que alguns metros de lajes, ou ele que negociou os votos do seu rebanho por mera e irrisória ambição ministerial.

Quando um Pastor negocia os votos de suas ovelhas, ele esquece que os valores mais altos que estão na negociação são a dignidade, o amor que respeita a pluralidade de opiniões, os valores do Reino de Deus, a santidade, a dignidade e principalmente a sua função protecionista, que deveria levá-lo a dar a vida por suas ovelhas. E isto não tem preço; o resto, como mostra aquela propaganda do cartão de crédito, pode ser comprado com o Credicard.





Pr. Jonas Silva

O evangelho segundo o “espíriTIO SAMto” , pregado por Morris Cerullo e Silas Malafaia

A cada dia tenho orado a Deus e pedido: Senhor me ajuda na minha pequena Fé no evangelho pregado pela teologia da prosperidade, e quanto mais me aproximo dEle (Deus), fico perplexo e indignado com o que vemos e ouvimos dos adeptos deste sistema “teológico”.


A minha última indignação ocorreu no último sábado (31 de Julho de 2010) e vem se perpetuando durante toda esta semana. Ao ligar a televisão e procurar uma programação evangélica para assistir, sintonizo no programa do Pr. Silas Malafaia, e me deparo com o Pastor Norte Americano, Morris Cerullo, trazendo uma “palavra profética para o Brasil”.

Eu prefiro me colocar entre aqueles que foram taxados pelo Pr. Silas Malafaia, como os que querem atrapalhar a benção dos seus telespectadores, do que me calar e me intimidar, principalmente quando vislumbro a cena do Nosso Senhor Jesus Cristo, entrando no templo e expulsando de forma rompante os vendedores e comerciantes, sem se preocupar com os rótulos que lhe seriam impostos.

O Pr. Morris Cerullo começa a sua mensagem trazendo como ponto de contato, o cenário econômico mundial, fato muito instrutivo para donas de casas e irmãos simples da nossa nação, claro, todos investidores de Wall Street.

O deus (o minúsculo não é erro de português) apresentado pelo “profeta” está exclusivamente preocupado com a benção financeira, ou segundo, o próprio termo empregado “unção financeira”. Para ele a essência do Evangelho (Graça, Reconciliação, Regeneração, Novo Nascimento), se não execrada, fica relegada ao segundo plano.

Eu creio na prosperidade dos Santos. Contudo, não nesta prosperidade ufanista que busca em revelações extra-bíblicas o respaldo para sua materialização. Eu fico imaginando qual a diferença de um pastor que pede uma quantia exata para que o fiel receba a graça financeira, e um feiticeiro que específica o despacho, a mandinga, para que o místico alcance os seus pleitos.

O profeta capitalista não se contenta com as Escrituras, a não ser com a Bíblia da Batalha Espiritual e Sucesso Financeiro, com as interpretações e comentários de sua própria autoria, que são muito mais inspirados que todo o resto, claro!!. E com um misto de numerologia e cabala, ele consegue definir o valor da oferta R$ 610,00 (seiscentos e dez reais).

Oferta dada não a Deus e sim ao ministério do Pr. Silas Malafaia, pois o efeito da unção financeira só funciona se a oferta depositada no altar daquele ministério. Claro!!! No Capitalismo imperialista não há lugar para o socialismo, ou melhor o espíriTIO SAMto, não permitiria tal sacrilégio, ou seja, outras igrejas ou mesmo missionários serem abençoados com a oferta dos R$ 610,00. O reino de deus está restrito aquele império denominacional.

Fico preocupado com os inúmeros ministérios espalhados por este país, com necessidades menos megalomaníacas do que o Ministério Vitória em Cristo, que terão suas ofertas e dízimos diminuídos em virtude de muitos irmãos acreditarem na mensagem do profeta da prosperidade, e deixarem de ofertar em suas igrejas, para juntarem o que têm e o que não têm, objetivando a quantia da unção financeira, R$ 610.

Infelizmente nos revela o espíriTIO SAMto: não há mais espaço para viúvas pobres no Reino de Deus.

Enquanto eu assistia ao programa, me lembrei de que uma das boas mensagens que ouvi sobre teologia da prosperidade, havia sido pregada pelo Pr. Silas, e neste misto de saudosismo e indagações, fui aos meus arquivos procurar a fita de vídeo (VHS) que continha a citada pregação, aí no meio do caminho desisti tristonho, ante a fatídica constatação que as pessoas mudam, e às vezes para pior.



Pr. Jonas Silva

FÉ NA PREVENÇÃO



Entre os dias 15 a 31 de Julho de 2010 foi realizado em nossa Igreja (Igreja Batista Missionária Casa Forte) o curso: “Fé na prevenção - Prevenção do uso de Drogas em instituições religiosas e movimentos afins”.

O Curso foi ministrado pelo Seminarista Salatiel Barros e pelo Pr. Jonas Silva, e teve apoio do PRONASCI (Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania) do Governo Federal, e tivemos 28 (vinte e oito) concluintes.

A ênfase do curso é na prevenção e na intervenção breve em casos de abuso de álcool e outras drogas.

Temos certeza que estamos fazendo a nossa parte, diante de um problema tão sério que é o uso de Drogas.

Caso queira maiores informações entre em contato conosco.



Pr. Jonas Silva
 
Caminhando em Santidade © 2010 | Design adaptado por Kênia Siqueira | Todos os direitos reservados.